O Problema de coleta de resíduos sólidos no Brasil, é Ambiental?

Dentre os modelos de coleta estudados neste artigo, faço uma pergunta inicial para mudança de pensamento. A precariedade no sistema de coleta que presenciamos é um problema ambiental a ser superado, ou necessariamente um problema cultural por falta de conscientização ambiental?
Teoricamente, na criação de pontos de entrega voluntários utilizam-se contêineres colocados em locais estratégicos fixos na cidade onde o cidadão espontaneamente deposita os materiais recicláveis (LEITE, 2003). A criação de um PEV (Ponto de Entrega Voluntário) pode ser realizada em condomínios ou bairros.  Escolas, igrejas e instituições públicas são locais estratégicos que podem proporcionar o destino ambientalmente correto a esse resíduo altamente poluidor. Dentre os aspectos positivos do emprego dos PEV pode-se citar: a facilidade da coleta, reduzindo custos com transporte, especialmente em bairros com baixa densidade populacional e evita trechos improdutivos, como pode ocorrer na coleta porta a porta; Auxilia a coleta nos municípios com atividade turística, cuja população pode estar ausente da cidade nos dias em que há coleta dos recicláveis; Permite a exploração do espaço do PEV para publicidade e eventual obtenção de patrocínio; Permite a separação e descarte dos recicláveis por tipos, dependendo do estímulo educativo e do tipo de container, o que facilita a triagem posterior.
Por outro lado, dentro os aspectos negativos desse tipo de coleta, se enquadram a maior vontade da população, que precisa se deslocar até o PEV; esses locais sofrem vandalismo como o depósito de lixo orgânico e animais mortos, pichação e incêndio; e por fim, não permite a avaliação da adesão da comunidade ao hábito de separar materiais.
Já para a Coleta seletiva Porta-a-Porta (utilizando carrinhos de coleta manual ou caminhões) é executada por coletores que percorrem as residências em dias e horários específicos, não coincidindo com a coleta normal dos resíduos sólidos domiciliares.  Os moradores colocam os recicláveis nas calçadas, acondicionados em contêineres distintos, de acordo com o sistema implantado na cidade.  O serviço de coleta, neste caso, pode ser realizado através de Cooperativas de Catadores (LEITE, 2003).
Os aspectos positivos notados no uso da coleta porta-a-porta é a Facilidade de separação dos materiais nas fontes geradoras e sua disposição na calçada; Dispensa o deslocamento até um Ponto de Entrega Voluntário, incentivando maior participação da população; Permite mensurar a adesão da população ao programa, pois os domicílios/estabelecimentos participantes podem ser identificados durante a coleta; Adianta o processo de descarga nas centrais de triagem.
Por outro lado, podemos destacar como aspectos negativos, a exigência de uma infraestrutura maior de coleta, com custos mais altos para transporte; Aumento dos custos de triagem, ao exigir posterior re-seleção e a armazenagem dos resíduos nas residências, no período entre as coletas, pode ser um problema para os participantes.
Faço a resposta para a pergunta inicial abordada, dentro destas alternativas de coleta, ainda o volume conseguido de coleta de resíduo gerado pelas cooperativas que de forma tradicional passam geralmente através do sistema de coleta porta-a-porta é baixo, em contraste a essa realidade, as empresas de coleta de lixo urbana, que fazem uso da mesma estratégia de rota, presenciam um problema diário de alto volume coletado versus tempo e distância de percurso, ou seja, o cidadão brasileiro ainda não tria seu próprio resíduo e não disponibiliza de forma adequada o que realmente deve seguir para aterro sanitário e destinado a coleta de lixo urbano, e principalmente, não disponibiliza de forma adequada o que pode ser reciclado ou utilizado ao agente coletor que passa efetuando a coleta deste material.

Para solução do problema, podemos analisar e mudar o foco da problemática, agora os senhores podem responder a minha pergunta, temos um problema social ou ambiental?

Por: Renato Binoto

Anúncios

8 thoughts on “O Problema de coleta de resíduos sólidos no Brasil, é Ambiental?

  1. Acredito ser fundamentalmente um problema social, visto que não temos cultura de separação dos resíduos orgânicos dos recicláveis. O problema ambiental decorre do problema social. Somente através de fiscalização e imposição de medidas educativas e/ou disciplinadoras poderemos presenciar a reversão deste quadro. Infelizmente a grande maioria do povo brasileiro ainda não sabe ter pensamento social.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s