Devemos SALVAR a Raça Humana e não o Planeta.

Perante o artigo publicado na Revista Filantropia, de julho e agosto de 2009, escrito por Marcio Zeppeline, fui motivado a escrever em cima de alguns pontos de vista que concordo e apoio no artigo.

Devemos SALVAR a raça Humana e não o Planeta.

Dentro de uma questão que venho abordando já há algum tempo, tratando da insustentabilidade sustentável que somos obrigados e motivados a praticar; Dentro dos três elos, sendo responsabilidade social, meio ambiente e economia; não buscamos o equilíbrio, buscamos a solução para situações que não apresentam soluções, ou mesmo quando apresentam, são altamente custosas.

Partindo para o título e a ideia do Zeppeline, até que ponto só falamos em salvar o planeta e não salvamos a nós mesmos? Fica bem claro neste ponto de vista, que o maior problema ambiental no mundo é social. Só teremos sucesso em salvar o planeta quando realmente tivermos acesso à informação e conscientização ambiental.

Em se tratando de corporações, não vejo ainda um equilíbrio ambiental nas engenharias para projeto inicial de produtos sustentáveis. Perante a ética dentro da engenharia que enfrentamos hoje, certamente a engenharia prejudica o ambiente, indiferentemente do ramo de atuação e projeto a ser desenvolvido. Não existe uma situação que a engenharia crie que não afete o ambiente. Mesmo sendo a geração de produtos sustentáveis propriamente ditos, está acontecendo o consumismo.

Fica uma questão dentro do artigo: alguém sabe dizer algum produto gerado que não afete diretamente o ambiente, mesmo sendo ele sustentável?

Desta forma, já que vamos prejudicar que prejudiquemos o menos possível!

Temos um grande desafio cultural e de responsabilidade social, onde, para realmente agirmos a certos gargalos e quebra de paradigmas, devemos melhorar algumas situações prejudiciais ao ambiente que são rotineiras dentro de nossas casas, no trabalho, na escola, enfim, consumimos e geramos resíduo o dia todo. Até que ponto este material esta tendo o direcionamento adequado para reuso ou reciclagem e até que ponto o processo inicial da engenharia está oferecendo ao cliente condições de
facilidades para o reuso ou reciclagem no pós-consumo?

Enfim, vamos nos alertar a estas ideias e vamos salvar a raça humana com projetos sociais, conscientização, desenvolvimento da nossa massa multiplicadora que são as crianças, a partir dela que realmente conseguiremos atingir uma melhoria ambiental. O mundo é nosso e, dentro do princípio natural da vida, será mais delas, as crianças, que nosso, os adultos.

Por Renato Binoto

Anúncios

2 thoughts on “Devemos SALVAR a Raça Humana e não o Planeta.

  1. Gostei de como tratou o assunto. Lido com embalagens flexíveis para alimentos e remédios, e as pessoas só enxergam o lado do descarte, mas não na garantia dada por elas à alimentação, raríssima já em algumas partes do mundo.
    Grande abraço.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s