Pequenas atitudes que podem minimizar impactos ambientais

São Carlos Capital da Tecnologia já merecia esta inovação ecológica

Atentando a problemática ambiental e de acordo com o Documentário The Corporation, clássico em se tratando de sustentabilidade, poderíamos realmente ser taxados como saqueadores das gerações futuras? Estamos roubando condições iguais de consumo para as próximas gerações?

Questiono-me, até que ponto grandes mudanças podem minimizar impactos e a degradação descontrolada, se não praticamos as pequenas atitudes dentro de nossas próprias residências.

Nos dias de hoje, o processo produtivo sequenciado, nada mais é do que saquear o planeta, o saque se torna matéria prima para alguns favorecidos, geradores de produtos acabados que os comercializam, nós simples consumidores, compramos o que não precisamos com o dinheiro que muito das vezes não temos devido a simples publicidade antiética e amoral e vivemos nesse ciclo virtuoso e vicioso. ‘

Se todos tivessem acesso e consumo do mesmo ritmo dos Estados Unidos, seriam necessários quatro planetas. Vivenciamos um modismo sustentável perante esta problemática a qual nos dirige em grandes ações para salvarmos a terra. Esta ai evidenciada a ultima novela de acesso a todos em se tratando da Rio + 20, não precisamos salvar o planeta, precisamos salvar a raça humana, quebrando paradigmas insustentáveis.

Segundo a World Future Society as 20 previsões de negócios para 2025 em consulta aos estudiosos, chegaram a uma lista de 20 mudanças que devem acontecer nos próximos 13 anos e poderão mudar o rumo dos negócios em todo o mundo. Uma delas é em se tratando do crescimento da população que deverá resultar em uma dificuldade na gestão do recurso pelo mundo. O esgotamento dos lençóis freáticos pelo mundo pode implicar em “terríveis” ameaças à saúde, com a proliferação de doenças. A indústria farmacêutica e de saúde.

Perante toda esta problemática insustenteval, trouxemos para São Carlos uma prestação de serviços de limpeza e conservação de veículos sem uso de água. São Carlos por ser intitulada a capital da Tecnologia, já estava merecendo esta inovação.

A DryWash é uma tecnologia brasileira que tem por principio a lavagem de veículos a seco com produtos de base natural e biodegradável, priorizando a qualidade de lavagem e embelezamento de veículos e respeitando o meio ambiente. A empresa atua em ciclo fechado, onde todos os resíduos gerados para a limpeza de veículos são destinados de forma adequada visando reuso ou reciclagem. Como exemplo, os panos de algodão utilizados para limpeza dos veículos chamados PRALIN, retornam a um parceiro para reuso  sendo preparado e transformado em manta para proteção de forros de novos veículos.

20130311_143017O sonho de qualquer brasileiro é ter seu carro e sua casa própria. Compramos nosso primeiro veiculo como qualquer brasileiro apaixonado por ele gosta de conserva-lo e sempre mantê-lo limpo, desta forma, para a manutenção do mesmo, uma simples lavagem consome em media 310 litros de água.

Vemos campanhas para não lavar calçadas de nossas residências, evitar banhos demorados, porem na maioria das vezes esquecemos do consumo de água para lavagem de veículos.

Segundo o Haspásio, 1+1 sempre será mais que dois, desta forma, se cada um fizer sua pequena atitude, começando dentro da sua própria casa, somando a atividade com mais uma pessoa, já estaremos fazendo nossa parte e muito pelo planeta. Em se tratando de cenário Brasil, devido a facilidade de exploração natural e geração de matéria prima, executamos um grande desrespeito a nossa riqueza natural.

O Brasil possui 194 milhões de habitantes, segundo o IBGE 2011, ou seja, somos consumidores de água para higiene pessoal, limpeza da casa, lavagem de roupas, ambiente de trabalho e claro de nossos veículos entre outros.

De acordo com os dados Apresentados da Revista Exame (por Amanda Previdelli), o Ranking de crescimento na frota de carros (entre parênteses, frota atual)
1. Manaus (AM) +141,90% (357.049)
2. Belo Horizonte (MG) +108,50% (1.753.405)
3. Distrito Federal +103,60% (1.274.792)
4. Goiânia (GO) +100,50% (786.256)
5. Belém (PA) +97,30% (280.231)
6. Salvador (BA) +94,30% (668.472)
7. Curitiba (PR) +91,70% (1.543.739)
8. Fortaleza (CE) +89,70% (628.039)
9. Recife (PE) +78,20% (692.389)
10. São Paulo (SP) +68,20% (8.292.812)
11. Porto Alegre (RS) +67,00% (1.423.439)
12. Rio de Janeiro (RJ) +62,00% (1.274.792)

Se pegarmos o índice de veículos nos estados, multiplicado ao número de litros de água gastos para uma simples lavagem de veículos que é em media 310 litros, quantos litros de água potável estamos jogando fora e ainda mais grave, misturando a produtos químicos como detergentes, óleos, graxas e solapam.

Vamos analisar a potencialidade da DryWash São Carlos, nos embasando com os dados locais.

Base de dados de São Carlos

  • Frota de Veículos em São Carlos 137.967
  • Litros de agua gastos para uma lavagem de carro 310 Litros
  • Média de moradores por residência em São Carlos 3,3 hab/residência
  • Número de Habitantes na cidade de São Carlos, aproximadamente 240.000
  • Número médio de agua suficiente para consumo e higiene por habitante 120 litros
  • Número de residências na cidade de São Carlos 73.000

São Carlos esta na Lista das cem maiores frotas de veículos do Brasil com um total de 137.967 Veículos. (DENATRAN 2011)

Portanto 137.967 veículos x 310 litros de água = 42.770.000 mil litros de água

São Carlos desperdiça hoje 42.770.000 litros de água apenas para lavar carros. Se todos quiserem lavar seu carro uma vez por mês ou por semana, esse é o consumo de água.

De acordo com o programa de uso consciente da SABESP, não são necessários mais do que 120 litros de água dia por pessoa pra atender as necessidades de consumo e higiene. Segundo o IBGE 2010, São Carlos tem hoje uma media de 3,3 moradores por residência, ou seja, necessitamos uma media de 396 litros de água por residência para consumo e higiene, ou seja uma lavagem simples de um veiculo pequeno consome praticamente o que se precisa diariamente para higiene e consumo de 3 a 4 pessoas em uma residência.

Agora se pegarmos o índice médio de 3,3 habitantes por residência, dividido pelo número aproximado de habitantes na cidade de São Carlos que é de 240.000, temos aproximadamente 73.000 residências em São Carlos.

Em relação ao consumo de água, fazendo a divisão dos 42.770.000 litros de água pelo índice médio para consumo e higiene que é de 396 litros, conseguiríamos abastecer 108.000 (cento e oito mil) residências na cidade de São Carlos.

Portanto, se a cidade de São Carlos não gastasse água para lavar carros, teríamos água para consumo em todas as residências da cidade e ainda não geraríamos resíduos ao lançar produtos químicos e tóxicos na agua por uma simples lavagem de veículos.

O litro de água em São Carlos, custa em torno de  0,0023 centavos( água e esgoto) multiplicado por 42.770.000 milhões de litros de água, chegamos a um valor aproximado de  R$ 984.000,00 (novecentos e oitenta e quatro mil reais)

Ressaltando que estamos mostrando os cálculos apenas de lavagem simples de  veículos, os caminhões, por exemplo, são veículos maiores e gastam mais água, não estamos contabilizando.

Atentando a realidade da cidade, devido à era empreendedora e de certa forma sobrevivente por falta de oportunidades de trabalho, relacionada ao número crescente de veículos no país, se criou um nicho forte de mercado para prestação de serviços e produtos nesta área de atividade, que são os chamados “lava rápidos”, estando instalados em postos de combustíveis ou mesmo em espações próprios para operação do serviço, onde gastam uma enormidade de litros de água limpeza de veículos e gerando consequentemente litros e litros de água contaminada por produtos químicos e tóxicos ao meio ambiente e propriamente talvez mais grave, ao operador no ato do serviço onde inala e interagi diretamente com estes produtos, onde na maioria das vezes não faz o uso de equipamentos de segurança EPIs.

Ainda, como agravante, outra grande problemática deste serviço, que por falta de fiscalização, na maioria das vezes, os lava rápidos fazem os chamados “gatos de água” para travamento de relógios e não possuem caixas separadoras de resíduos no espaço da lavagem, onde os mesmos são lançados diretamente em sistema de esgoto convencional, impactando diretamente o ambiente.

Perante esta problemática, venha conhecer em São Carlos, a DryWash. É uma inovação solucionadora para minimizar o desperdício de água e de forma ecológica continuar cuidando dos nossos veículos. Portanto senhoras e senhores, temos a tecnologia para evitar o desperdício, precisamos apenas fazer nossas escolhas para minimizar o saqueamento natural, somos ladrões das gerações futuras, propriamente dos nossos filhos e netos. A Drywash não é um lava rápido e sim uma empresa pioneira no Brasil através de serviços de limpeza e conservação de veículos, sendo classificado orgulhosamente se zero água.

Esta na hora de repensarmos e evitarmos alguns tipos de costumes tradicionalistas e sim desta forma, simples e necessária evitarmos grandes desperdícios de preciosidades naturais.

Por Renato Binoto e Willian Goulart Dourado

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s